Seja homem! A batalha pela pureza

“Ninguém é maior escravo do que aquele que se julga livre sem o ser” (Goethe).

Essa frase atribuída a Goethe diz muito a respeito da condição do homem atual. Crescemos numa sociedade que, cada vez mais, nos lança na bestialidade. Isso porque o que se valoriza do ponto de vista masculino é a busca da afirmação da virilidade por meio do culto ao prazer sexual. Essa é uma concepção tão restrita sobre virilidade que demonstra quão distorcida estão os fundamentos da cultura atual: somos incentivados a viver como porcos, remoendo a lama e celebrando a imundície.

O que significa ser viril, ser homem, de fato?

Ser homem, ser viril, é ter autodomínio de si ao ponto de ofertar a própria vida. Autodomínio e oferta de vida são conceitos que parecem absurdos nos dias de hoje. Por isso a frase de Goethe vem bem a calhar: a sexualização, que se traveste de liberdade, é a pior escravidão. Muitos estão mergulhados nessa lama e não percebem que, quanto mais profundo se vai nessa experiência, menos viril se torna, pois o ponto central da virilidade está absolutamente comprometido: o poder de escolher pela oferta de si.

No vício não há escolha, mas somente desordens que distorcem a realidade, numa sede insana por satisfazer-se. O sexo se torna um vício, e os olhos não são mais capazes de enxergar no outro nada além de algo que pode ser usado para satisfazer a si próprio. Além disso, a adicção distorce os limites, de modo que se quer ir cada vez mais longe a fim de conquistar uma satisfação que nunca será plena.

Os homens criados nessa sociedade tendem a não ter força de vontade. Tomam decisões que duram poucos dias. Fogem de escolhas definitivas, porque temem, como crianças mimadas, se comprometer completamente, sustentando suas opções e convicções. E a hiperssexualização tem papel central nesse ponto, aliado à ausência de figuras paternas fortes e modelos de homens realmente viris.

Homens, precisamos, de uma vez por todas, entrar em uma batalha definitiva e crucial em nossas vida: a luta pela pureza. Todos fomos submetidos a essa lógica e, enquanto não temos ciência disto, somos suas vítimas. No entanto, o conhecimento e, principalmente, o fato de que desejamos ser verdadeiramente homens, deve gerar em nós o desejo de retomar a nossa própria vida, sem transferir a responsabilidade dela para outros.

Além disso, a luta envolve comprometer-se em enfraquecer o inimigo, caso contrário, nossos amigos, irmãos, filhos, vão estar ainda sujeitos a realidades ainda mais graves do que aquelas às quais fomos expostos.

Precisamos retomar esse local sagrado e montar uma barricada, de maneira que o inimigo não possa mais avançar e, pelo contrário, tenha de recuar cada vez mais.

Para isso, algumas estratégias são importantes:

  • Peça ajuda: se há dificuldades em viver a castidade no seu estado de vida, é essencial que se peça ajuda. Procurar um amigo para quem possa confidenciar suas fraquezas é um ponto importantíssimo, pois as derrotas vêm porque subestimamos o inimigo e, com o poder de decisão enfraquecido, não se sustenta a escolha durante a tentação.
  • Busque a confissão: quando estamos em estado de pecado, perdemos a percepção sobre a graça e sobre a salvação. É preciso assumir o compromisso de, a cada pequeno tropeço, levantar-se depressa, com virilidade, com decisão, e pedir perdão a Deus e a graça de recomeçar.
  • Tenha uma vida de oração: este ponto é essencial. Se você não tem uma vida de oração, ou seja, se não dedica um tempo para dialogar com Deus, terá ainda mais comprometida a força de vontade. É preciso programar o seu dia para a oração, não somente aquela que perpassa todas as atividades, mas aquela silenciosa e sincera, que demanda dedicação.
  • Pratique a caridade: procure maneiras de ofertar a sua vida a Deus e ao próximo. Uma delas, nesse caso, pode ser divulgando conteúdos que promovam uma visão correta acerca da sexualidade. É preciso curar-se acerca do amor verdadeiro e este é o caminho.
  • Viva a penitência: não há outra maneira de desenvolver o autodomínio que não passe pela penitência. Atrelada à vida de oração, é o caminho certo para quem deseja progredir espiritual e humanamente.

Tem outras dicas de algo que funcionou para você? Compartilhe conosco, pois o inimigo é um só e estamos do mesmo lado nesta luta.

Bravus, pela hombridade.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta