Noé e a arca que salvou o mundo

“O SENHOR viu que a maldade do homem se multiplicava na terra: o dia todo, seu coração não fazia outra coisa senão conceber o mal, e o SENHOR arrependeu-se de ter feito o homem sobre a terra.” (Gn 6,5-6)

Imagine comigo, caro leitor, que você tivesse a capacidade de enxergar com os olhos de Deus o que se passa no coração dos homens e percebe que não encontra nada de bom. Que tudo aquilo que foi sonhado e planejado para ele simplesmente não há chance remota de acontecer, que tudo o que foi ensinado foi rigorosamente desobedecido e que simplesmente só resta dar fim a sua criação.

Estes são os tempos de Noé. A Escritura é clara ao dizer-nos que o homem se corrompeu de tal forma que não haveria mais o que fazer, exceto “apagar tudo e começar de novo”.

Mas tudo nos planos de Deus é didático, pedagógico para o homem, inclusive as tragédias. Deus resolve chamar um homem, Noé, e ordena que ele construa um barco enorme, uma arca. Que entrasse nela com sua família e com um casal de cada animal da face da terra. Imaginem, que bicharada. E mais, que missão!

Noé enfrentou todo o tipo de escárnio de seus contemporâneos, todo o tipo de dificuldade logística, pois quem naquela época saberia construir uma enorme arca, exceto se não estivesse possuído pelo Espírito Santo de Deus?

Nossos tempos são igualmente terríveis. Mas um homem que tem experiência, intimidade com Deus e que é chamado por Ele para cumprir uma missão está fadado a sofrer todo o tipo de oposições, algumas delas dentre os da sua própria casa. Entretanto, assim como Noé, quando Deus nos ordena algo, precisamos confiar que Ele vai cumprir e afiançar a sua palavra. Os incrédulos não acreditavam em Noé e na palavra do seu Deus até que começou a chover sem parar.

Quem será que você é: o homem de quem Deus se arrepende de ter feito ou o homem chamado para cumprir missões que poucos anseiam? Será que, eu e você, somos como Noé?

Você pode gostar...

Deixe uma resposta