Onde estás, Adão?

Para começar a série de posts sobre masculinidade na Bíblia, é importante alertar aos leitores que não vou tratar dos problemas hermenêuticos e exegéticos dos textos bíblicos. Infelizmente, os teológos liberais enlamearam as águas do estudo da Bíblia com suas teorias heréticas e demoníacas. Então, vou partir do princípio que o relato bíblico é plenamente confiável, que o pentateuco foi escrito por Moisés (sim, a teoria documentária da Alta Crítica é uma patuscada sem tamanho) e que a discussão sobre se a Adão é real ou um mito não interessa ao menos no momento.

A mim (e a você também) deve interessar as lições que o Espírito Santo quer ensinar quando inspirou o escritor bíblico a contar a história deste genuíno homem pecador, Adão. De antemão, antecipo que podemos encontrar em Adão, o primeiro homem, a soma de todos os erros e descaminhos que os homens do passado e os de hoje cometem.

É possível enumerar algumas dessas “mancadas”, para ser elegante:

1) Adão foi chamado a dominar a terra, incluindo os animais da terra, ou seja a serpente possessa pelo demônio estava debaixo de seu senhorio, e por qual o motivo ele não afugentou a pauladas a perniciosa enquanto ela tentava Eva?;

2) Adão foi chamado para formar, junto com Eva, a pintura mais formosa da imagem de Deus, gozavam da sua presença real todo dia ao cair da tarde (os gaúchos dizem que o Altíssimo vinha tomar chimarrão no fim da tarde no Éden), bastando que seguissem o seu mandamento de não tocar na árvore que estava no centro do jardim. No entanto, com a cobiça atiçada e com um coração soberbo, em um momento, arremessaram a si e a sua descendência em uma tragédia com enredo padrão Lost. Onde Adão estava com a cabeça?;

3) Larry Crabb, em seu livro o Silêncio de Adão, faz um exercício imaginativo e alega que Adão estava do lado de Eva no momento da tentação. Ora, por que raios Adão dá ouvidos a sua mulher. Por que não lhe passa um pito?;

4) Depois do pecado consumado, Adão começa, em uma paranoia impressionante, a culpar a todos pelas suas omissões. Culpa a serpente, culpa a mulher e, por fim, culpa a Deus. É o retrato da desgraça;

5) Finalmente, ele sente vergonha de seus erros, se esconde —  por sua nudez — e ao receber sua punição, para a expulsão do jardim, Deus tece as roupas de que Adão e Eva necessitarão. A condição de total dependência de Deus fica escrachada pela ignorância de Adão, que não sabe o mínimo para sobreviver. Em tudo necessitará de Deus, a despeito de sua desobediência;

6) Ao descuidar de sua família presencia a sina do assassinato, do primeiro fratricídio, além de viver em um duro tempo de trabalho árduo e com poucos resultados.

Adão têm muito a ensinar ao homem contemporâneo especialmente com os seus erros. Meditar na história de nosso “primeiro pai” pode nos ajudar a não cometermos falhas similares. Acima de tudo, pode nos auxiliar a ter uma resposta digna e consistente para darmos a Deus quando ele nos questionar: “Onde estás, Adão?”

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: